Conde Vila Flor

O título de conde de Vila Flor foi instituído por uma carta régia de Afonso VI de Portugal datada de 23 de Julho de 1661, em favor D. Sancho Manoel de Vilhena e dos seus descendentes. D. Sancho Manoel foi general nas guerras da Restauração, vencedor da batalha do Ameixial, tendo-se destacado na defesa de Évora e na batalha de Montes Claros, e sido nomeado Vice-Rei do Brasil. Este título foi tornado, de juro e herdade, em favor do segundo conde D. Cristóvão.
O conde de Vila-Flor descendia por legítima varonia de Don Juan Manuel de Villena, terceiro senhor de Cheles, Mordomo-Mor do Imperador Carlos V e cavaleiro do Tosão de Ouro, de estirpe real, por ser descendente também por varonia de D. Henrique Manoel de Vilhena, conde de Seia, Sintra e de Montealegre, senhor de Oeiras e Cascais e do Palácio da Vila em Sintra, meio-irmão da Rainha D. Constança Manoel casada com D. Pedro I, Rei de Portugal. Este conde D. Henrique era, por seu turno, filho de Don Juan Manuel, princípe de Vilhena, neto do Rei Fernado III, o Santo, de Castela.
Os condes de Vila-Flor habitaram o Palácio de Arroios, ao cruzeiro de Arroios, que adquiriam ao desembargador André Valente, demolido no anos cinquenta do século XX (conhecido como Palácio dos Senhores de Pancas), bem como o Palácio de São João da Praça (dito Vila-Flor). Também pertenceu a esta família o Palácio-Quinta do Sobralinho. Foi filho do primeiro conde de Vila-Flor o grande Princípe-Grão-Mestre da Ordem de Malta, D. António-José Manoel de Vilhena.

1 comentário:

Jofre de Lima Monteiro Alves disse...

Visito com apreço este blogue, que tem fotografias lindíssimas, de grande qualidade, onde me delicio a ver as magnificas paisagens.

Sou minhoto e como estou casado com uma transmontana de Carvalho de Egas, tenho o blogue “VILA FLOR em Flor”. Nunca comentei aqui qualquer artigo, mas faço-o hoje, impreterivelmente da consciência, para repor a realidade histórica.

O título de Condes de Vila Flor não diz respeito ao concelho de Vila Flor, em Trás-os-Montes, mas sim à antiga povoação de Vila Flor, pertencente à freguesia de Santiago de Amieira, concelho de Gavião, distrito de Portalegre.

Por carta régia de 23 de Junho de 1661 e alvará de 23 de Agosto de 1668, o rei Dom Afonso VI criou 1.º Conde de Vila Flor, em sua vida, ao fidalgo D. Sancho Manoel, descendente do infante Juan Manuel, Príncipe de Vilhena e Senhor de Escalona. Portanto, como se vê, não existe qualquer ligação com a “nossa” Vila Flor.

A família Manoel de Vilhena também não tem qualquer ligação com Vila Flor (a antiga Póvoa de Além Sabor), pois eram proprietários em Lisboa, Alentejo e no Ribatejo, portanto longe de Trás-os-Montes.

Atenciosamente,

Jofre de Lima Monteiro Alves